O QUE É APÓLICE ?

No período de 1902 a 1964, o Governo Federal Brasileiro, emitiu Apólices
com o intuito de angariar recursos para investimentos em infra-estrutura.
As cláusulas contratuais garantiam ao detentor de cada Apólice,
uma taxa de juro de 5% ao ano, não contemplando, por outro lado,
a correção monetária. Os agentes econômicos compravam estes títulos
que muitas vezes chegavam a ter maturidade de duzentos anos, por ser,
na época um instrumento de poupança de longo prazo de risco mínimo.
Estes papéis foram descobertos por caçadores de oportunidades,
principalmente internacionais, em meados de 1996, que passaram a negociar
estes títulos depois de conseguir um parecer da Fundação Getúlio Vargas
( FGV ) do Rio de Janeiro, definindo o valor de face do papel,
lançado em Contos de Réis. As Apólices ganharam atrativo
entre um grupo agressivo de administradores
de recursos do exterior pela lógica da equivalência.
Depois do fim do regime comunista em países do Leste Europeu,
foram desenterradas letras referentes a Dívidas Públicas da época czarista e
da República de Weimar. Esses títulos foram sendo resgatados pelo
Governo Alemão Unificado e pela Rússia pós-comunismo, provocando uma corrida
de caçadores de oportunidades por papéis referentes às Dívidas Públicas passadas
de Governos ao redor do mundo. No caso brasileiro, a descoberta foi dessas
Apólices da Dívida Pública, que foram emitidas para financiar obras de infra-estrutura.
Apólice de 1902 / Apólice 1911
VOLTAR  AO INÍCIO